Compartilhe:

Quando escutamos sobre uma nova tecnologia em nossa área de trabalho, sempre a avaliamos. Será que é mesmo o que precisamos para a empresa, o evento que participamos? São tantas inovações que, às vezes, fica difícil de acompanhar, no entanto, elas devem ser usadas com cuidado.

Eventos são pessoas e, sem pessoas, não há sentido em ter um evento. Grandes feiras acontecem para reunir empresários, lojistas e representantes sob o mesmo teto, oportunizando o relacionamento e a geração de negócios. Agora imagine, se toda essa comunicação fosse feita de forma virtual. A necessidade presencial de um evento já não teria mais sentido.

Na hora de contratar um serviço tecnológico, pense se ele aproxima pessoas ao evento. Afinal, contatos virtuais são feitos durante todo o ano com seu cliente, quando existe a oportunidade, o bom mesmo é aquela conversa olho no olho, que pode acontecer durante um café, um almoço ou em um evento.

“A tecnologia por si só não faz nada, são as pessoas e a inteligência por traz delas que fazem acontecer”. Comenta Edson Lamb, CEO da BCS.

O importante é pensar na vivência do usuário, saber sua necessidade e colocar a empatia quando praticar o serviço. Na hora de contratar uma nova tecnologia para o seu evento avalie se ela serve para facilitar processos, aproximar pessoas e fazer a diferença para o seu negócio. E não ser apenas mais uma inovação da moda.